domingo, 21 de febrero de 2016

A chuva cai




Cai devagar e comove:
vida deste chão sedento;
até parece que chove
por obra de encantamento.

A chuva desce trazendo
uma fragrância sonhada,
o rumor de estar vivendo
uma visão muito amada.

A ramagem gotejante
evoca meu lar de outrora,
onde brilhou fascinante
aquela chuva de aurora.

Toda essa fronde lavada
vibra ao compasso do vento,
e uma fragrância anelada
perfuma o meu pensamento.


Juan Martín (21-2-2016)

No hay comentarios:

Publicar un comentario