viernes, 17 de marzo de 2017

Ante o retrato da minha mãe






Não há estrelas em todos os firmamentos
como os dentes da tua boca,
brancos entre o sorriso dos teus lábios.

Não há luar tão profundo
como a luz dos dos teus benditos olhos
nem ondas tão altivas
como as dos teus sagrados cabelos.

E essas brancas mãos,
feitas para o meu sustento e alegria,
que aguardam por toda a eternidade!

J. Martín

No hay comentarios:

Publicar un comentario

Nota: solo los miembros de este blog pueden publicar comentarios.