jueves, 6 de abril de 2017

Canção


Quando tudo está perdido,
o lar de outrora e a fé,
aquele jardim florido
banido pela maré;

fica tão dentro, tão minha,
tão fundo no coração,
esta saudade que aninha
numa perdida canção:

essa que vai pelo vento
numa esperança que mora
num oculto firmamento,
nalgum recanto de aurora.

Canção que jamais termina,
por entre os astros navega,
miragem que me cativa,
que apenas sonhos me lega.

J. Martín

No hay comentarios:

Publicar un comentario

Nota: solo los miembros de este blog pueden publicar comentarios.