sábado, 22 de abril de 2017

Outono



O outono dourando vai
As folhas da minha vida,
Como a rosa que se esvai,
Tão amada, tão querida.

Toda a flor da mocidade
Pela aragem arrastada
Vibra inteira na saudade
Duma paisagem sonhada.

É pois um fato evidente
Que tudo vai desabar,
Até o coração que sente
Um grande amor palpitar.

Palpite pois o coitado,
Seja quarta ou quinta-feira...
Antes de que dite o fado
A sentença derradeira.

J. Martín

No hay comentarios:

Publicar un comentario