domingo, 22 de abril de 2018

Noite


Nesta noite no jardim,
As tímidas violetas
Batizadas de luar,
Choram saudosas e quietas.

A lua é uma feiticeira
Que enfeitiça e faz chorar,
Mostrando aqueles momentos
Que nunca vão regressar;

E nas noites sem luar
Há uma estrela que palpita,
Que ao longe me faz lembrar
Quão fugaz foi minha dita.

Tudo passa e tudo morre
Mas na noite sinto a medo
Como tortura a saudade
No meu terrível degredo.

No hay comentarios:

Publicar un comentario

Nota: solo los miembros de este blog pueden publicar comentarios.