domingo, 1 de mayo de 2016

Vento




Sinto uma dor tão profunda
que dentro de mim habita,
por não achar as palavras
que exprimam minha desdita.

Essas tão simples palavras
com que eu pudesse contar
uma ausência milenária,
tão profunda como o mar.

Essas palavras tão simples
com que eu pudesse cantar
quanto a alma se estremece
quando não pode voar,

quando sente que a sua essência
toma caminhos incertos,
e transcorrem suas jornadas
evocando esses momentos

em que o vento da fortuna
soprava com ousadia;
quando nem imaginara
daquele vento, a valia.

No hay comentarios:

Publicar un comentario