sábado, 31 de diciembre de 2016

Alma cativa






Amores, aqueles, que foram um dia
luz esplendorosa,
e aquela quimera, que alegre crescia,
firme e vigorosa.

Perfume tão novo, mais ritmo triunfal
que tudo inundava;
enquanto que a dita, suspiro vital,
por meu tempo errava.

Que foi desse mundo que amava assim, tanto,
de voz encantada?
Matou-o o destino, deixou-me este pranto,
fiquei sem mais nada!

E a luz misteriosa que chega da lua,
a minha alma invade,
a inunda de sonhos, e assim continua
cheia de saudade.


No hay comentarios:

Publicar un comentario

Nota: solo los miembros de este blog pueden publicar comentarios.